1

Mapeamento Sistemático da Literatura: Como fazer?

Definido como um método para construir esquemas de classificação e estruturar uma determinada área de interesse. A análise dos resultados, em um mapeamento sistemático, tem como objetivo mostrar a frequência/quantidade de publicações por categoria dentro de um determinado esquema. Desta forma, a cobertura de uma determinada área de pesquisa ou tópico pode ser determinada. Diferente perspectivas podem ser utilizadas e combinadas com o objetivo de responder a diferentes questões de pesquisa.

Dentre os passos que compõem o mapeamento sistemático estão:

  1. Planejando o mapeamento : durante essa fase, todas as decisões relevantes para conduzir o mapeamento sistemático são feitas.
    • Estudo de viabilidade e escopo: Como vimos anteriormente, os processos de revisão sistemática da literatura e o mapeamento são diferentes, enquanto o primeiro estuda uma área mais específica de maneira mais intensa e detalhada, o segundo objetiva classificar e representar uma área de pesquisa, mostrando os tópicos que foram mais enfatizados (Ex.: Identificar as lacunas, resumir e disseminar os achados de pesquisa e examinar a extensão e natureza de uma atividade de pesquisa). Apesar das questões de pesquisa terem um foco na cobertura de uma determinada área de pesquisa, questões relacionadas a: em que conferências e revistas os artigos foram publicados?, qual o tipo de método de pesquisa foi utilizado? quais as tendências da área? também podem ser respondidas nesse tipo de estudo.
    • Identificação dos estudos: Os estudos podem ser procurados com base no conjunto de palavras-chave extraídas das questões de pesquisa e de artigos relevantes da área. Dentre as estratégias mais utilizadas para buscar os artigos temos: (i) Snowballing, (ii) Manual search e (iii) Database search (para mais informações: Revisão Sistemática da Literatura). O resultado dessa busca pode ser validado através de buscas em páginas de autores importantes na área ou pedir para algum especialista ou pesquisador sênior da área avaliar esses resultados.
      • Escolhendo a estratégia de pesquisa
        • Diferentes estratégias de busca podem ser combinadas, dependendo da abrangência do mapeamento.
        • A estratégia de snowballing pode ser aplicada e recomenda-se que os artigos do conjunto inicial, os quais terão as referências analisadas, deverão pertencer a grupos de pesquisas ou comunidades diferentes para evitar aquelas citações “internas”.
        • Quando aplicamos a estratégia snowballing, o conjunto inicial de artigos não dever ser muito pequeno, o número de níveis (“referência de referência”) que você irá considerar vai depender da abrangência dos estudos.
        • É interessante que se escolha anos diferentes de publicação para esse conjunto inicial.
        • O conjunto de palavras-chave existentes nas questões de pesquisa são essenciais quando estamos procurando esse conjunto inicial de artigos.
      • Executando as buscas
        • A escolha das palavras-chave pode ser feita utilizando estratégias como: (i) consultar pesquisadores na área, (ii) melhorar interativamente a busca, (iii) utilizar palavras-chave de artigos conhecidos na área e (iv) utilizar padrões e dicionários.
        • Essa escolha do conjunto de palavras-chave é muito importante visto que a seleção da “matéria prima” para seu mapeamento depende delas.
      • Avaliando o resultado da busca
        • A medida que a busca acontece, os pesquisadores devem avaliar o resultado com o objetivo de avaliar sua precisão.
        • Essa validação pode ser feita olhando se um conjunto que você julga ser importante na área foi encontrado.
        • Consultando os pesquisadores mais experientes na área.
      • Inclusão e Exclusão de estudos
        • Alguns critérios utilizados nessa etapa: (i) conferências ou revistas onde o estudo foi publicado, (ii) período de tempo definido, (iii) restrições em relação a linguagem e (iv) a relevância do tópico abordado pelo estudo.
      • Avaliação da qualidade dos estudos
        • Essa avaliação de qualidade não é feita com a mesma frequência que acontece nas revisões sistemáticas, acreditamos que uma das razões seja o fato de que no mapeamento sistemático estamos interessados em capturar uma visão geral da área. Na revisão sistemática, como investigamos uma área mais “reduzida”, podemos avaliar a qualidade de maneira mais precisa.
    • Extração dos dados e classificação
      • Durante essa etapa, os dados são extraídos por um dos autores do mapeamento e recomenda-se que seja verificado por outro.
      • Na classificação, uma abordagem bem utilizada é fazer com que pelo menos dois pesquisadores façam a classificação e depois comparem os resultados. Caso tenha mais de dois, esse terceiro pode fazer mais uma etapa de verificação.
      • Classificação independente do tópico
        • Essa classificação pode ser feita de maneira livre, uma vez que os artigos foram lidos e analisados, os pesquisadores podem montar um esquema de classificação, com base no conhecimento adquirido durante essa análise.
        • As categorias mais encontradas na classificação são: (i) o congresso ou revista no qual o documento foi publicado; (ii) Tipo de pesquisa; (iii) Tipo de método de pesquisa.
      • Classificação dependente do tópico
        • Diferentes autores tem buscado esquemas de classificação já conhecidos e validados por outros estudos da área sendo mapeada.
        • Duas abordagens utilizadas para a construção desse esquema de classificação são: (i) identificar palavras-chave durante a analise de todos os artigos que serão considerados no estudo (geralmente são as palavras mais frequentes). (ii) Usar o processo de coding proveniente do grounded theory.
        • Esse tipo de classificação pode levar em consideração sub-áreas dentro de uma área maior.
        • É interessante que você utilize esquemas de classificação conhecidos na área para que você possa no futuro fazer comparações entre mapeamentos.
        • É importante que um pesquisado sênior faça uma validação do seu esquema de classificação.
        • Depois de identificadas as categorias do esquema de classificação, os artigos são então classificados de acordo com as categorias que eles representam.
    • Visualização
      • Os gráficos mais utilizados para a visualização dos dados em um mapeamento sistemático são: Gráfico de bolha, Gráfico de pizza e Gráfico de barra.
    • Ameaças a Validade
      • É interessante que todo estudo tenha uma seção explicando quais as ameaças encontradas durante sua execução.
  2. Conduzindo o mapeamento sistemático 
    • Para conduzir o mapeamento sistemático, todo o processo definido na fase de planejamento precisa ser fielmente executado. É muito importante que cada uma das etapas seja registrada. Por exemplo, durante a fase de inclusão e exclusão dos estudos, para cada inclusão/exclusão você deve registrar o motivo. Isso será muito importante para analises e comparações futuras.
    • É importante salientar que esse processo é iterativo e pode sofrer revisões.
  3. Reportando o mapeamento sistemático
    • A estrutura utilizada para reportar um mapeamento sistemático é muito parecida com aquela utilizada na revisão sistemática da literatura. Algumas seções bastante utilizadas pelos autores: (i) Introdução, (ii) Trabalhos relacionados, (iii) Descrição dos passos necessários para executar o mapeamento, (iv) Resultados, (v) Análise dos dados (ou Discussão), (vi) Ameaças a validade, (vii) Conclusão.
    • Você pode utilizar esses templates/modelos disponíveis no FastFormat.

Referências:

  • Guidelines for conducting systematic mapping studies in software engineering: An update
  • Systematic Mapping Studies in Software Engineering
  • Using Mapping Studies in Software Engineering
  • Software Product Lines Testing: A Systematic Mapping Study

One thought on “Mapeamento Sistemático da Literatura: Como fazer?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.


*

::CLOUDFLARE_ERROR_500S_BOX::