Tipos de Técnicas para Coleta de Dados

Existem diferentes fontes de dados que podem ser usadas no estudo de caso. É importante que se utilize mais de uma fonte para limitar os vieses existentes quando se interpreta apenas uma fonte de dados. Se uma conclusão é derivada de diferentes fontes de informação (técnica conhecida como Triangulação de Dados), essa conclusão será mais forte que uma derivada de apenas uma fonte. Diferentes pontos de vista também são importantes na coleta desses dados.

Em relação as técnicas de coleta de dados podemos identificar três níveis:

  • Primeiro Grau: métodos diretos onde os pesquisadores (autores) estão em contato direto com os sujeitos da pesquisa (subjects) e na coleta de dados em tempo real. Isso acontece em entrevistas com grupos e observações, por exemplo.
  • Segundo Grau: método indireto onde o pesquisador (autor) coleta os dados sem interagir com os sujeitos (subjects) durante o processo de coleta de dados. Essa abordagem pode ser utilizada, por exemplo, em projetos de telemetria de software onde o uso de um software é automaticamente monitorado e observado em uma gravação de vídeo.
  • Terceiro Grau: análise independente de documentos disponíveis e onde já estavam disponíveis alguns dados. Isso acontece quando uma determinada empresa, por exemplo, disponibiliza seus dados e relatórios.

A técnica de primeiro grau é mais custosa quando comparada com as duas últimas, uma vez que requer um maior trabalho tanto do lado do pesquisador quanto do lado dos sujeitos da pesquisa. Os dois primeiros tipos de técnicas apresentam a vantagem de que o pesquisador pode saber exatamente quais dados foram coletados, de qual a maneira e em qual contexto os dados foram coletados. Por fim, as técnicas de terceiro grau são menos custosas do ponto de vista de esforço, mas não oferecem o memo nível de controle oferecido pelas duas primeiras.

Conheça o Fastformat:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.