O que é e como definir as Hipóteses do seu estudo?

O conhecimento é produzido com base em fenômenos observados, fatos conhecidos ou fatos fundamentados em dados teóricos. Nesse contexto a elaboração de hipóteses é de suma importância. Podemos conceituar hipóteses como sendo supostas respostas para um problema em questão. A utilização de hipótese no seu estudo pode trazer alguns benefícios, como:

  • Delimitar o campo de estudo;
  • Prever fatos com certa probabilidade de acertos;

Quando estamos fazendo nossos estudos, a hipótese passa por dois processos, são eles: (1) Formulação da hipótese e (2) Teste da Hipótese. Com o objetivo de buscar soluções para o estudo em questão, as hipóteses podem ser comprovadas ou refutadas. Ambos os casos são muito importantes, pois são considerados fontes de conhecimento para o problema estudado.

Definição das Hipóteses

Não existe regra para definição de hipóteses, mas é importante que o pesquisador/estudante conheça bem a bibliografia da área, observe bem os fatos e tenha uma noção básica de como formular hipóteses (que pode ser obtida lendo estudos anteriores). DICA: Converse com seu orientador sobre as hipóteses que você definiu, revise com ele todas elas. Isso é importante para que você não faça um estudo irrelevante.

Não se deve elaborar uma hipótese apenas para o problema em questão, mas também hipóteses fundamentais do problema, que são diferentes alternativas. Na formulação do problema é necessário que cada meio alternativo seja especificado e que uma hipótese esteja relacionada a cada alternativa. Desta forma, uma lista de hipóteses alternativas deve ser feita e examinada para eliminar aquelas alternativas que não venham ao encontro do propósito estabelecido no estudo. DICA: (1) o autor deve olhar a viabilidade da hipótese, por exemplo: você terá dado suficiente para testar a hipótese?; (2) olhar as condições em que as medidas produzirão um maior efeito.

Exemplo: Suponha que você começou a investigar a taxa de mortalidade infantil em um bairro de baixa renda. Pois bem, o objetivo do seu estudo é saber o que acontece naquele bairro para que ele tenha uma mortalidade tão elevada. Hipótese 1: a mortalidade infantil tem uma relação significativa com o tipo de alimentação da criança. Hipótese 2: a mortalidade infantil tem uma relação significativa com a falta de escolaridade dos pais. Hipótese 3: a mortalidade infantil tem uma relação significativa com a falta de saneamento básico na localidade.

A hipótese pode ser definida com base em comparações com outro estudos, pesquisas ou teorias quando existe similaridade em relação as variáveis do estudo que pretende realizar. Exemplo: a partir dos estudos sobre os aspectos nutricionais das crianças e suas famílias no bairro dos pinheiros, você pode fazer o mesmo estudo porém considerando um outro bairro.

Dicas para criação das hipóteses

  • A hipótese deve ser conceitualmente exata, explicada por definições manuais e operacionais;
  • Sua escrita deve ser na forma de sentença declarativa;
  • Deve ser específica e com referências empíricas;
  • Deve estar vinculada ao método e técnica utilizada na pesquisa;
  • Estabelecer relação entre duas ou mais variáveis;
  • Deve ser simples e concisa;
  • A hipótese não deve entrar em contradição com o seu enunciado;
  • Em sua formulação evite termos subjetivos, como: bom, ruim, muito, pouco, etc. Seja o mais exato possível.

Ciclo da Hipótese

O estudante, com base nos conhecimentos adquiridos sobre o assunto, elabora a hipótese, que nada mais é do que um suceder de alternativas de reflexão e de experimentação. Depois de analisado os dados, a hipótese pode ser confirmada ou rejeitada/refutada. No primeiro caso, o estudante o resultado foi o que ele esperava, no segundo, o resultado mostrou-se diferente do que ele imaginava. Nesse ponto, dar-se início um novo ciclo, onde um novo estudo pode ser feito para tentar confirmar uma outra ou a mesma hipótese.

Testando a sua hipótese

Testar a hipótese é nada mais que verificar se os dados coletados confirmam ou refutam a mesma. Em seguida, mostraremos três tipos de hipóteses que são testadas com base nos métodos e técnicas de mensuração, de acordo com o interesse do pesquisador/estudante.

Exemplo: Suponha que você continua investigando a produtividade no trabalho de um determinado grupo de empregados. Foi constatado um grupo de empregados com baixa produtividade e que esse fato estava associado a má alimentação. Podemos elaborar três hipóteses:

  • A baixa na produtividade está associada a alimentação inadequada. Considere x como sendo a variável que representa a baixa produtividade e y a variável que representa a má alimentação. Nesse caso, o estudante só poderá identificar se existe ou não relação entre as duas variáveis. Mas não é possível determinar qual delas poderia produzir alteração na outra. Com essa hipótese, no máximo confirmaríamos se alimentação inadequada estar ou não associada com a baixa produtividade.
  • A produtividade tem relação ou depende da alimentação. Considere x como sendo a variável que representa a produtividade e y a variável que representa a má alimentação. Nesse caso, o estudante tem condição de determinar a direção da relação da variável x (baixa na produtividade) que depende da variável y (má alimentação).
  • A precarização da alimentação produz uma diminuição na produtividade. Neste caso, alem de se estabelecer a ligação e a dependência entre a variável x e a variável y, também é possível determinar a natureza da relação.

Você vai precisar dessa postagem para escrever seu estudo de caso e experimento.

Referência:
Fachin, Odília. Fundamentos de Metodologia. 5 ed. Editora saraiva.

Conheça o Fastformat:

fastformat abnt tcc monografia hipotese

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.