O que escrever em cada seção de um estudo de caso?

Imagine quando seu professor pede para você escrever um estudo de caso. Não tem idéia de como formatar um estudo de caso. O Fastformat resolve isso para você falando o que deve ser escrito em cada uma das seções do estudo. Isso tudo já se encontra disponível no Fastformat quando você utiliza a funcionalidade de "Modelos".

1. Introdução

Tenha em mente que a introdução deve ser feita de maneira a capturar o interesse do leitor. Desta forma, uma abordagem bastante utilizada é a estrutura de funil. Assim, começamos a descrever os aspectos gerais, mostrando o contexto em que iremos trabalhar, seguindo então para um tópico mais especifico (ex.: contexto científico) até chegar na proposta do trabalho e razão de sua execução.

Para mais detalhes: Como escrever a seção de introdução?

1.1 Descrição do problema estudado

A descrição do problema é importante pois ajuda os leitores a fazer comparações entre os problemas que acontecem com eles e o problema que você investigou no estudo de caso. Essa seção ajuda a entender a relevância da pesquisa como um todo. Para guiar a escrita dessa subseção você deve responder as perguntas

  • Qual é o problema estudado?
  • Onde ele acontece?
  • Quem observou ou observa sua ocorrência?
  • Por que isso é importante e deve ser solucionado?

O ultimo paragrafo deve conter uma descrição breve sobre a solução e quais os benefícios esperados de tal solução.

1.2 Objetivos da Pesquisa

Analisa <Objeto(s) de estudo> com o objetivo de com relação a do ponto de vista no contexto de<Contexto>.

1.3 Contexto onde a pesquisa foi aplicada

Aqui você deve falar sobre a maneira que organizou e locais onde a pesquisa foi executada. O autor deve informar aos leitores como a pesquisa se relaciona com situações específicas.

O contexto consiste em todos os fatores que podem afetar a generalização e utilidade das conclusões.

2. Trabalhos Relacionados

No primeiro paragrafo você deve contextualizar falando que a seção será dedicada a descrição dos trabalhos relacionados. Em seguida, você deve dedicar um paragrafo para cada um dos trabalhos, descrevendo como ele trata aquele tema abordado e por fim mostrando com uma visão crítica seus pontos fortes e fracos. No último paragrafo você pode fazer uma crítica geral aos trabalhos.

3. Design do estudo de caso

Nessa seção você explicara como o estudo de caso foi feito em relação a seus passos e elementos. Além de fornecer uma contextualização a respeito da área em que o estudo foi realizado é importante que o autor defina o objetivo do estudo. Esse objetivo deve falar o que o autor espera conseguir com a execução do estudo. Esse objetivo é refinado em um conjunto de questões de pesquisa que irão ajudar o autor a chegar no objetivo e que serão respondidas a partir das analises.

3.1 Questões de Pesquisa

Para definir as questões de pesquisa é muito importante a participação do orientador ou alguém que tenha uma experiencia melhor na área de pesquisa do estudo. Vale lembrar que todo o estudo será executado e direcionado com o objetivo de responder essas questões de pesquisa. Logo, quanto mais refinada e relevantes melhor será o resultado do seu estudo.

DICA: Assim que as questões de pesquisa forem definidas, imagine em hipóteses de como você acha que ela será respondida e comece a pensar se você terá os dados para essas respostas e analises. Isso será importante para a definição do processo de coleta de dados, assim como, no momento de escrever os resultados e discussões.

DICA: Caso queira você pode fazer uma questão geral e dividir essa questão em outras mais específicas.

3.2 Seleção dos participantes e caso estudado

Aqui você deve explicar quem e o que participará dos estudos, vamos para um exemplo que isso ficará mais claro. Digamos que queremos analisar os efeitos de um determinado treinamento no dia a dia dos funcionários de uma fábrica. Podemos dizer que os funcionários serão nossos participantes (subjects/sujeitos) e aquele treinamento específico ou aplicação de uma técnica (case) será nosso caso.

3.3 Procedimento de coleta de dados

Nessa seção o procedimento de coleta de dados é descrito em detalhes. Esses dados podem ser quantitativos (números ou medidas) ou qualitativa (palavras e descrições). Para mais detalhes temos uma postagem no nosso blog:

Essa coleta de dados pode ser feita utilizando três tipos de técnicas conforme descrevemos no nosso blog: Técnicas para coleta de dados. É importante que o autor documente todo o processo de coleta, desde as fases inicias de definição da técnica utilizada, como a execução de todo o processo de coleta. DICA: Quanto mais detalhes melhor.

3.4 Procedimento de análise de dados

A analise dos dados pode ser feita de diferentes maneiras a depender do tipo de dado que foi extraído na etapa anterior, que pode ser qualitativo ou quantitativo.

A analise quantitativa inclui analise descritiva, analise de correlação, desenvolvimento de modelos de previsão e teste de hipótese. Todas essas atividades são importantes para o estudo de caso.

É importante notar que métodos de analise quantitativa exigem um design de pesquisa (estudo) fixo. Por exemplo, se uma questão com resposta quantitativa é alterada ao longo do processo de entrevistas, isso faz com que seja impossível interpretar os valores médios das repostas das questões. Além disso, dados quantitativos de apenas um estudo tem a tendencia de ser bem pequeno, devido ao número de respostas que você vai coletar. Isso pode trazer ameaças ao seu estudo.

Como o estudo de caso é um método de pesquisa flexível podemos utilizar diferentes métodos de analise qualitativa. O objetivo básico da analise é tirar conclusões dos dados, mantendo uma ligação com as evidências. Essa ligação com as evidencias significa que se um leitor pegar o mesmo conjunto de dados, ele será capaz de chegar nos mesmos resultados e tirar as mesmas conclusões que você (autor/pesquisador). DICA: É importante que cada passo e cada decisão tomada seja documentada no estudo.

Esse tipo de analise pode trazer ameaças ao estudo quando feita por apenas um pesquisador (autor), visto que ele vai interpretar da maneira que lhe for conveniente e pertinente. DICA: É importante que essa analise qualitativa seja feita por mais de uma pessoa de forma independente e ao final os resultados são comparados e unidos para compor um discussão e conclusão comum.

3.5 Procedimento de validação

Essa validação diz respeito a confiabilidade/confiança dos resultados apresentados, se os dados falam realmente a verdade ou se não sofreram qualquer tipo de influencia por parte do pesquisador (autor). Note que devemos ter cuidado com esse tipo de coisa desde as fases iniciais do estudo. Abaixo vamos listar quatro diferentes aspectos de validação que devemos levar em consideração:

  • Validade de Construção: esse aspecto reflete a medida em que os itens que você escolheu para avaliar, se eles realmente representam o que o pesquisador (autor) tem em mente e o que é investigado pela questão de pesquisa. Por exemplo, em uma entrevista se uma determinada questão foi interpretada de formas diferentes entre o entrevistador e o entrevistado, teremos um ameaça a construção. DICA: sempre revise e faça um piloto das questões antes de fazer a entrevista definitiva.
  • Validade Interna: esse aspecto diz respeito quando se avalia uma relação de causa e efeito. Quando o pesquisador (autor) investiga se um fator afeta outro fator, existe a chance desse fator investigado também ser influenciado por um terceiro fator. Se o pesquisador não tem ciência do terceiro aspecto e/ou não sabe de sua existência isso vai afetar os resultados do fator investigado e introduzir uma ameaça ao estudo.
  • Validade Externa: diz respeito a possibilidade de generalizar os resultados e se os resultados serão de interesse de leitores e pesquisadores. Na analise da validade externa o pesquisador avalia o impacto da relevância do seu estudo na comunidade científica.
  • Confiabilidade: diz respeito a maneira em que o dado e a analise são dependentes de um pesquisador (autor) específico. Hipoteticamente, se um outro pesquisador fizer o mesmo estudo que você, o resultado deve ser o mesmo. Esse problema pode acontecer quando você não deixa claro como os dados foram coletados, como você interpretou os dados ou até mesmo alguma questão na entrevista que não ficou clara para ambas as partes.

Vale lembrar que todas essas validades devem ser consideradas desde o inicio do estudo, com o objetivo de evitar ao máximo que novas ameaças apareçam no seu estudo.

4. Resultados

A seção dos resultados é a ponte entre os dados e os achados/evidências do estudo. É considerada uma das seções mais importantes quando se  quer avaliar a qualidade do estudo. Desta forma, é essencial que seja feita de forma estruturada, com uma visão crítica e fácil de ser entendida. Para ajudar você na escrita dividimos essa seção em partes (ou parágrafos) cada uma com seu objetivo:

  • Descrição dos participantes e dos casos estudados.
  • Descrição do passo a passo da execução do estudo de caso
  • Analise e interpretação dos aspectos observados
  • Avaliação a respeito da validade dos resultados

4.1 Avaliação a respeito da validade dos resultados

Nessa seção você deve mostrar os aspectos, resultados e evidências mais importantes do seu trabalho. Segue a divisão em partes ou paragrafo do que você deve considerar na escrita da conclusão:

    • Breve descrição do seu trabalho
    • Um resumo das conclusões da pesquisa
    • Relação com as evidências existentes
    • Impactos e implicações que os resultados podem gerar
    • Limitações do estudo
    • Trabalhos futuros

4.2 Trabalhos futuros

5. Agradecimentos

6. Referencias

Vá agora mesmo até o Fastformat e comece a escrever seu documento.

Um comentário em “O que escrever em cada seção de um estudo de caso?

  1. Excelente texto. Claron e objetivo, com os esssenciais elementos do metódo. Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.